Palestra da Profa. Liz Loureiro na I Semana da Farmácia

Encerrando com chave de ouro a I Semana da Farmácia (01/12/2010), o curso de Farmácia convidou a Professora do curso Liz Loureiro para discorrer sobre a Resistência Bacteriana e a Bactéria KPC.

A palestra da Profa. Liz foi uma das mais esperadas devido ao surto desta nova bactéria nos hospitais brasileiros, e por isso, foi acompanhada por alunos de diversos cursos, incluindo Nutrição, Enfermagem, Educação Física, Ciências Biológicas e Medicina.

Segundo a Profa. Liz, a bactéria KPC (Klebsiella pneumoniae Carbapenemase) é um microorganismo que foi modificado geneticamente no ambiente hospitalar e que é resistente aos antibióticos. Os primeiros casos do microorganismo foram detectados em pacientes internados em UTI, nos Estados Unidos. No Brasil, já foram identificados 135 casos suspeitos e confirmados em hospitais do Distrito Federal, até a data presente.

A bactéria KPC, foi identificada pela primeira vez nos Estados Unidos no ano 2000, depois de ter sofrido uma mutação genética, gerando uma resistência a vários antibióticos (carbapenêmicos, especialmente) e a grande capacidade de tornar resistentes outras bactérias.
A bactéria KPC pode ser encontrada na água, em fezes, no solo, em vegetais, cereais e frutas. O contágio ocorre em ambiente hospitalar, pelo contato com secreções do paciente infectado, desde que não sejam respeitadas normas básicas de desinfecção e higiene.


A KPC pode causar pneumonia, infecções sanguíneas, no trato urinário, em feridas cirúrgicas, enfermidades que podem evoluir para um quadro de infecção generalizada, muitas vezes, mortal. Crianças, idosos, pessoas debilitadas, com doenças crônicas e imunidade baixa ou submetidas a longos períodos de internação hospitalar (dentro ou fora da UTI) correm risco maior de contrair esse tipo de infecção. A resistência aos antibióticos não é um fenômeno novo nem específico da espécie Klebsiella. Porém, esses germes multirresistentes não conseguem propagar-se fora do ambiente hospitalar.

Fechando a pelalestra, a Profa. Liz alertou sobre as técnicas de prevenção, especialmente no fato de lavar as mãos, pois é considerada a principal forma de prevenção. “Uma higienização completa das mãos, inclusive entre os dedos, e também o uso do álcool para desinfecção, também é altamente recomendado”.

Postagens populares